Johnnas Oliva, ator, brasileiro, paulistano, formação Teatro Escola Macunaima, Studio Fatima Toledo e Oficina de atores da Globo (2008).

Atualmente:
Novela Haja Coração - Globo - Personagem Enéas Braga Carvalho - Direção geral Fred Mayrink.
Série O Negócio - HBO - Personagem Yuri Kaprinski - 1a temporada 2013, 2a temporada 2014 e 3a temporada 2016 Direção Michel Tikhomiroff e Julia Jordão.

Trabalhos recentes:
Série Sessão de Terapia - GNT - Personagem Rafael Cecatto - 3a temporada 2014. Direção Selton Mello.
Websérie A Vida de Lucas Batista - Personagem Lucas Batista Direção Leonardo Hwan e Catharina Strobel.

* Teatro atuou em 16 peças profissionais, (incluindo infantis, adulto e musicais).
* Cinema 4 longas-metragens: "A Palavra" de Guilherme de Almeida Prado (2013), "Jogo das Decapitações" de Sérgio Bianchi (2013) (participação), "2013 menos 1" de Vitor Baumgratz (2013) e "Os 3" de Nando Olival (2011) 2 médias-metragens e 41 curtas-metragens.
* Televisão atuou em séries e especiais: Aline (Globo), Tal Filho Tal Pai (Globo), 9mm São Paulo (FOX), Descolados (MTV), To Frito (Band e MTV) , Entre Teens (MTV), Morando Sozinho (Multishow), Galera Animal (Globo -voz leão), Desprogramado (Multishow), Na Fama e Na Lama (2a. Temp.) (Multishow), A Grande Família (Globo), Na Mira do Crime (FOX).

terça-feira, 20 de julho de 2010

Teatro: Desconstrução.

Algumas imagens da peça teatral Desconstrução do projeto Mestres da Obra, direção e texto Caio Salay, com Caio Salay, Gabriel Godoy, Johnnas Oliva e Lucas Bêda - Stand in: Ricardo Henrique.
http://www.youtube.com/watch?v=7DDfc6tYYog

Um comentário:

  1. ESTRÉIA - Dia 23 e 24 de Setembro
    Ambivalência(s) a mais nova produção da Cia. Novo Ato é uma sinfonia desconstrutivista uma ópera total que pertence a um universo de angústias, medos, frustrações e mistérios que envolvem os seres humanos na sociedade. Temos em Ambivalência(s) vários recortes sociais que colocam em discussão sem tomar partido, algumas questões humanas entre elas o sexo, o casamento, o prazer, o medo da solidão, a ambição, a fragilidade dos sentimentos, o estupro, o ser social versus o ser individuo, a sociedade com seus mitos e tabus entre outros assuntos.
    Cristal e Horácio se encontram depois de dez anos separados. O diálogo entre eles segue uma perspectiva do pensamento oscilando entre o objetivo e o subjetivo, as ações seguem o fluxo das memórias e flashes que denunciam cenas envoltas em rancores, mágoas, prazeres, dores, solidão e principalmente medo. Os duplos psicológicos de Cristal e Horácio respectivamente Ângela e Paulo denunciam esses medos com suas pavorosas máscaras, suas vozes atrevidas, seus gestos vulgares e fora dos padrões sociais. À medida que Cristal e Horácio conversam o expectador é convidado a penetrar o universo psicológico e social dos dois envolvidos pelo laço matrimonial e pela revelação de um estupro.
    Durante o processo a Cia. Novo Ato trouxe como um desafio a montagem de cenas que pudessem sintetizar e problematizar tais imagens e temas. Transmitir tais idéias de forma que o expectador possa também criar suas imagens.
    O Processo imersivo e escavatório parte do ao vivo de cada dia,da labuta consigo mesmos, da experimentação e descarte.O estudo é um alimento vivo que nos instiga a cada contato.A entrega total e sem defesa dos corpos, das imagens, dos sons numa composição que trilhou um longo e árduo caminho de preparação corporal,vocal,pesquisa (vídeos,dança,grandes mestres),construção e desconstrução das cenas,acabamento e detalhes: muito suor,lágrima,alma,corpo e sangue.
    Essa peça não fala de um grupo, de uma família, de um casamento. Ela fala do ser humano, em todos os seus conflitos pessoais, suas dualidades, suas múltiplas personalidades, suas ambivalências. Essa peça fala de você e de mim, fala de nos como homens e mulheres, como seres humanos, por vezes monstruosos, criminosos, por vezes amorosos, ternos, maternos, sagrados.
    Ambivalência(s) é extraída da obra do escritor Miguel Jorge que conta com os atores pesquisadores-criadores : Silas Santana, Marília Ribeiro, Ana Lu e Luciano Di Freitas, sob a direção e acompanhamento musical de Luiz Cláudio,coordenação do elenco de Marília Ribeiro. Este projeto tem o apoio da Lei Municipal de Incentivo à cultura de Goiânia.




    Estréia do espetáculo Ambivalências dia 23 e 24 de setembro às 21 hs no Teatro do Centro Cultural Goiânia Ouro.

    ResponderExcluir